sexta-feira, 12 de março de 2010

O Pai da Minha Melhor amiga


Eu estava em casa sem nada para fazer, quando minha melhor amiga Carol me liga e me convida para passar o fim de semana na casa dela, na mesma hora aceitei a oferta. Arrumei minha mochila e fui, chegando lá toquei a campainha e a porta se abriu lentamente, quando percebi que do outro lado daquela porta que abria lentamente como em um filme de suspense, havia um par de braços musculosos, dois olhos verde água, uma boca vermelhinha e carnuda, enfim, era o tão desejado pai da Carol . Automaticamente ele me convidou para entrar e me disse para ficar a vontade que a casa era minha e que a Carol tinha dado uma pequena saidinha e já voltava, me perguntou se eu queria beber alguma coisa e eu morrendo de sede, mas por “educação” não aceitei. Ficamos mais ou menos uns 25 minutos assistindo um canal que estava passando um programa tão idiota que estávamos quase dormindo e nada da Carol chegar, ele me perguntou se poderia mudar de canal e eu como muito educada disse a ele que ficasse a vontade, ele trocou de canal e parou em filme, ficamos vendo atenciosamente o filme até que começaram as cenas picantes do filme, e eu como nem sou pervertida comecei a me imaginar fazendo tudo aquilo e muito mais com o “Tio”, começou a me subir um fogo, um desejo incontrolável de pular em cima dele e fazer um sexo animal com ele. Comecei a dar umas olhadas indiscretas e percebi que ele retribuía, dava uns sorrisinhos pelo cantinho da boca, acariciava o meu corpo me insinuando para ele, até que ele me perguntou se eu tinha namorado eu dei um sorrisinho sacana e pulei no colo dele o beijando loucamente, acariciando os cabelos grisalhos e macios, ele apertava meus peitos como se estivesse com um tesão absurdo, eu como não sou boba já fui tirando a camisa dele, ele como não é bobo tirou minha blusa, enquanto nos beijávamos ele foi lentamente colocando os seus dedos por baixo da minha saia e colocando minha calcinha de lado ao mesmo tempo em que beijava meu pescoço até chegar aos meus peitos que parecia que ele desejava mais que tudo. Eu como não sou boba avisei que eu queria um sexo selvagem e inesquecível, bom e foi o que ele fez. Empurrou a mesa da sala, me pos no chão levantou minhas pernas e deu em mim as melhores linguadinhas da minha vida, eu gemia como se já estivesse chegando ao orgasmo, mas não parou por ai não, ele me pos de quatro e começou a meter como se fosse a ultima coisa que ele iria fazer na vida, depois ele me colocou deitada de frente para ele, ele era o coroa mais gostoso e com mais disposição que eu já havia transado (nossa), as caras e bocas que ele fazia era o melhor passaporte que tinha para o orgasmo, ele metia tão fundo e gostoso que os meus gemidos ficavam tão autos que eu tinha medo que os vizinhos ouvissem. Até que ouvimos um barulho no portão, nós dois paramos e ouvimos a voz da Carol gritando que tinha esquecido a chave para o “Tio” abrir a porta para ela. Automaticamente nos levantamos as pressas, ele se vestiu rapidamente e enquanto eu me vestia e arrumava a sala ele abria a porta para ela. Dois minutos depois Carol entra e me da um abraço super apertado, me pergunta se o pai havia me tratado bem e eu respondi “ Claro amiga, como o Pai da Minha Melhor Amiga não me trataria bem? ”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário